terça-feira, 1 de dezembro de 2020

PANDEMIA - RN tem alta de 17% nos casos de infecção por Covid-19 em novembro


A quantidade de novos doentes dentro de um único mês é a maior desde julho passado, durante o pico dos contágios no Rio Grande do Norte

O Rio Grande do Norte registrou aumento de 17,61% no número de casos de Covid-19 em novembro. Foram registrados 13.811 novas infecções até esta segunda-feira 30, segundo informações da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). A quantidade de novos doentes dentro de um único mês é a maior desde julho passado, durante o pico da doença entre os potiguares, quando 20.129 contágios foram diagnosticados.

Segundo os dados epidemiológico mais recentes, foram registrados 8.521 novas infecções pela Covid-19 entre os dias 23 e 30 de novembro. Ao todo, o Estado soma 95.123 casos desde o início da pandemia. Com o resultado, a média móvel — a comparação estimada dos últimos 15 dias — subiu para 765,1, o que representa o maior registro desde 14 de julho, quando a média foi de 708.

Os dados também refletem a variação da taxa de reprodução (Rt) do novo coronavírus entre os potiguares. Segundo o sistema Covid Analytics, ferramenta da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), o Rio Grande do Norte tem o maior índice de todo o Brasil: 2,19. O Rt é a métrica de quantas pessoas, em média, um indivíduo infectado pode chegar a transmitir a doença. Na situação entre os potiguares, segundo a PUC, uma pessoa contaminada pode transmitir o vírus para mais de duas pessoas.

O Rt apresentado pelos pesquisadores cariocas difere do índice calculado pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), que é ligado à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Pelos critérios locais, a taxa de transmissibilidade é de 0,50. A diferença é explica pelos parâmetros utilizados pelos pesquisadores. Os cariocas usam a evolução dos casos; já os potiguares, critérios como o tempo entre o aparecimento dos sintomas e o período de infecção.

O número de contágios pode ser visto, também, a partir das internações no Sistema Único Saúde (SUS). Atualmente, a taxa de ocupação dos leitos críticos para a doença é de 50%.

A Região Metropolitana de Natal concentra mais da metade dos leitos de internação. São 48% das vagas ocupadas até esta segunda-feira 30 — 51 leitos dos 106 disponíveis. Em 1º novembro, para efeito de comparação, as internações estavam em 32%.

Entretanto, apesar da aceleração no número de infecções, os óbitos não apresentaram altas expressivas em novembro. Até o último dia 29, o Rio Grande do Norte registrava 104 mortes ao longo do mês. No mesmo período de outubro, houve 180 óbitos — o mês terminou com 184 mortos.

As mortes ocorridas em novembro representam o menor registro desde abril, com 55 óbitos, antes do período mais grave da doença. O recorde aconteceu em julho, com um total de 743 de potiguares mortos pela Covid-19.

Nenhum comentário: