sábado, 14 de outubro de 2017

MUDANÇA - Horário de Verão começa neste domingo em três regiões do país

O Horário de Verão começa à 0h deste domingo (15), e os relógios deverão ser adiantados em uma hora para se adequar à medida. A mudança vai valer até o dia 18 de fevereiro de 2018. É possível que esta seja a última vez que o Horário de Verão seja adotado no Brasil.

Isso porque autoridades do setor elétrico constataram mudanças nos hábitos de consumo de energia dos brasileiros. De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o que mais tem influenciado o horário de pico do consumo de energia não é mais a incidência de luz solar, e sim a temperatura.

REGIONAL - Governo manda suspender captação de água no rio Açu para uso múltiplos

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão de Águas do Rio Grande do Norte (IGARN), e junto à Agência Nacional de Águas (ANA) e ao Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piancó Piranhas Açu, vem a público informar que:

Diante do nível de água observado na estação fluviométrica Pendências (código 37761000) às 07h00 do dia 13 de outubro de 2017, igual a 0,85 m, e prevendo iminente colapso de abastecimento de água para os municípios de Guamaré, Pendências e Macau, fica determinada a interrupção das captações de água no rio Açu para usos múltiplos, à exceção do abastecimento humano e animal, no trecho entre a barragem Armando Ribeiro Gonçalves e a captação da CAERN no município de Pendências.

A permanência da redução deverá ocorrer durante um período de 72 horas, contatos a partir da divulgação desta NI ou até que o nível de água na régua de medição na estação fluviométrica Pendências atinja novamente o nível de 1,00 m e se mantenha neste nível de medição.

O Governo esclarece ainda que a determinação será fiscalizada e, caso não seja respeitada, os usuários estarão sujeitos às penalidades como multa e embargo. Qualquer alteração na determinação será informada mediante Nota Informativa, emitida pelos integrantes do Sistema de Recursos Hídricos

ALTO DO RODRIGUES - Para refrescar nesse calor, só tomando... ou várias...

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

ALTO DO RODRIGUES - 4 oportunidades de cursos na CEDUCAT

Curso de NR 11!!!
Curso de NR 20!!!
Operador de Munck!!!
Rigger Sinaleiro!!!
Turmas confirmadas!!!

É amanhã 14/10/17 apartir das 08h da manhã
Fique Apto no Setores Eólicos.
Fique Apto no Setor Petrobras.

Ligue e faça sua inscrição!!
(84) 3523-2002 / 99858-0649 99858-0527

(IN)SEGURANÇA - Quatro são mortos em menos de duas horas na região Oeste potiguar

Quatro pessoas foram mortas em menos de duas horas na região Oeste potiguar na noite desta quinta-feira (12). Foram três assassinatos em Mossoró e um em Areia Branca. Ninguém foi preso.

O primeiro caso aconteceu por volta das 20h30. Emanoel Messias dos Santos Silva, de 24 anos, foi encontrado baleado no bairro Santo Antônio. Pessoas que viram o homem ferido ainda o socorreram para uma UPA, mas ele não resistiu. Uma hora depois, em Areia Branca, a vítima foi Pedro Lucas da Silva, mas conhecido como Luquinha, de 17 anos.

Segundo o 1º tenente Abrantes, comandante da PM no município, o adolescente foi baleado na cabeça. Testemunhas disseram que viram um casal fugindo em uma motocicleta, perto do Mercado Público, logo após os disparos. Luquinha ainda foi socorrido para o Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró, mas também não resistiu.

Duplo homicídio
Mais tarde, já por volta das 22h, dois rapazes foram mortos a tiros próximo ao aeroporto de Mossoró. Segundo a PM, os dois saíram de casa para ir até a casa da avó de um deles, no bairro Belo Horizonte. As vítimas foram identificadas como José Vitor Ferreira da Silva, de 17 anos, e Francisco Sandiano Peixoto, de 19.

Os dois foram encontrados com marcas de tiros na cabeça. Ao lado dos corpos, estava uma moto. Ainda não há informações sobre os assassinos ou motivação do crime. Os adolescentes não tinham passagem pela polícia.
A Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Mossoró vai investigar os casos.

ALTO DO RODRIGUES - Confira as super ofertas do Supermercado Soberano

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

INÉDITO - Bebê nasce com seis quilos em Vargem Grande do Sul, SP, e surpreende médicos

Imagina dar à luz um bebê de cinco meses? Foi essa a sensação da dona de casa Sandra Brás Valeiro Cândido ao ter Davi, que nasceu em Vargem Grande do Sul (SP) com 6,010 quilos e 57 centímetros, peso e tamanho equivalentes aos de uma criança dessa idade.

Davi nasceu na maternidade de Vargem Grande do Sul (SP), em 25 de setembro, por meio de uma cesariana. Por conta do peso da criança, a gravidez foi considerada de risco e não chegou até o final e o bebê nasceu aos oito meses de gestação.

De acordo com o médico obstetra Antônio Feracim, a razão de Davi ter nascido tão grande se deve ao fato de a mãe ter tido diabetes gestacional. “A criança fica com muita glicose dentro do útero e o alto índice de glicemia no sangue da mãe faz o bebê crescer tanto”, explicou

Sandra disse que engordou muito durante a gestação. “Todo mundo me perguntava se eram dois [filhos]. Eu respondia que não, que era apenas um, mas era grande”, contou. Mesmo sabendo que o bebê seria grande, o tamanho de Davi foi uma surpresa para os profissionais que fizeram o parto

Bebês grandes são tradição na família. Os outros dois filhos de Sandra também nasceram maiores que a média. Carolina, hoje com 13 anos, nasceu com 4,344 quilos e Daniel, de seis anos, com 4,142 quilos, os dois de parto normal

ALTO DO RODRIGUES - Neste final de semana tem Aulão Solidário do ENEM

📣📣 ATENÇÃO ESTUDANTES QUE IRÃO REALIZAR O ENEM 2017📣📣

Depois da edição preparatória para o IFRN, chegou a vez de você que quer gabaritar a prova do ENEM. 📚😁📚

Neste sábado, 14 de outubro, começa a terceira edição do Aulão Solidário para o ENEM. A oportunidade de  revisar e tirar todas as dúvidas sobre os conteúdos da prova e ainda ajudar quem precisa.

O aulão começa às 08 da manhã e a inscrição é a doação de 2 kg de alimentos.

✔Local - Escola Estadual Maria Rodrigues de Melo

✔Biologia - Professor Silvano Cunha

 ✔Matemática e Física -  Professor David Cunha.

Vai ficar de fora?!? Claro que não! 👏👏

#PartiuRevisão #PartiuEnem

domingo, 8 de outubro de 2017

ACIDENTE - Camarote desaba em show de Ivete

Na madrugada deste domingo a cantora Ivete Sangalo realizava uma show na Odonto Fantasy, em Aracaju (SE), quando parte de um dos camarotes desabou. A festa é conhecida como uma das maiores festas à fantasia do Brasil e reuniu um público de mais de 20 mil pessoas. Após o acidente ela parou a apresentação e pediu calma ao público. Em seguida, os organizadores do evento subiram ao palco e pediram que o público do camarote descesse para que uma área de segurança fosse isolada. E garantiram que a festa continuaria, assumindo qualquer tipo de responsabilidade diante do ocorrido. O show foi retomado após o socorro das vítimas. Aproximadamente 60 pessoas foram feridas e sete precisaram ser encaminhadas a hospitais. A assessoria de comunicação da Odonto Fantasy informou que está acompanhando a situação das vítimas e somente uma delas permanece internada no Hospital São Lucas, onde vai passar por uma cirurgia ortopédica

SORTE - Aposta de SP leva o prêmio de R$ 22 milhões da Mega-Sena

Uma aposta de Guarulhos (SP) acertou as seis dezenas da Mega-Sena sorteadas neste sábado (7) e levou o prêmio de R$ 22.575.348,57. Os números do concurso 1975 foram: 08, 11, 24, 26, 47, 57. De acordo com a Caixa Econômica Federal, o prêmio para o próximo concurso, a ser realizado na quarta-feira (11), será de R$ 3 milhões. Pela quina, 76 apostadores ganharam R$ 33.102,68; já a quadra rendeu R$ 614,88 às 5.845 as apostas ganhadoras

POLÍTICA - Principais pontos da reforma política, confira

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na última quarta-feira (4) a criação de mais um fundo público para financiar os candidatos. A proposta segue para a sanção de Michel Temer.

Caso o presidente da República dê aval ainda nesta semana ao que foi aprovado no Congresso, em 2018 cerca de R$ 2 bilhões de recursos públicos serão direcionados aos candidatos. O valor se somará aos cerca de R$ 1 bilhão do atual Fundo Partidário.

Por meio de uma manobra regimental, o texto-base da medida foi aprovada em votação simbólica, sem registro nominal dos votos, já que a maioria dos deputados não quis deixar "digital" de apoio à medida.

Os contrários à proposta, porém, apresentaram um "destaque" -mecanismo que, no jargão do Congresso, representa tentativa de mudança do texto- para derrubar o fundo e conseguiram que ele fosse votado de forma nominal, ou seja, com o registro de como cada um dos deputados votou.

O fundão foi mantido por margem apertada, 223 votos a 209. A proposta também acaba com a propaganda partidária (não a eleitoral) na TV e rádio a partir de 2018.

O novo fundo sempre foi o principal objetivo da atual reforma política debatida no Congresso. Os partidos afirmam não ter como bancar as campanhas desde que o Supremo Tribunal Federal proibiu, em 2015, que as empresas continuassem a financiar o mundo político.

"Corta-se verba pública em todo lugar. Mas os políticos se acostumaram a fazer campanha com milhões, isso é uma vergonha", discursou Ivan Valente (PSOL-SP). "Defendemos porque nós sempre lutamos contra o financiamento privado. Sempre lutamos e sempre formos a favor ao financiamento público, que é a forma correta de se financiar uma eleição, em vez de os candidatos irem às empresas ou aos ricos pedir dinheiro para campanha", afirmou o líder da bancada do PT, Carlos Zarattini (SP).

Os partidos que orientaram seus deputados a votar a favor do fundão foram PMDB, PT, PP, Avante, PSD, DEM, PTB, Pros, PSL, PDT, Podemos, SD, PC do B e PSC. Orientaram contra Rede, PEN, PSOL, PV, PHS, PPS, PRB, PSB e PR. O PSDB foi a única legenda que "ficou em cima do muro" e liberou seus filiados para que votassem como quisessem.

Nesta quarta foi promulgado (ou seja, passou a valer) o capítulo da reforma que proíbe as coligações para eleição ao Legislativo e cria regras para barrar a proliferação de partidos.

Em um clima de muito improviso e confusão, o plenário da Câmara também aprovou parte da reforma que trata de mudanças eleitorais. A votação se encerrou às 3h04 da madrugada desta quinta (5).

Boa parte das medidas beneficia partidos e candidatos, mas ainda não há certeza de que entrarão em vigor. Isso porque tudo tem que ser aprovado ainda nesta semana pelo Senado para valer nas eleições de 2018.

O relatório do deputado Vicente Cândido (PT-SP) sofreu várias alterações, até a última hora, o que levou deputados a afirmar que não sabiam o que estavam votando. A aprovação do texto-base ocorreu de forma simbólica (sem registro nominal dos votos).

Entre as mudanças estão a liberação da propaganda paga na internet, com a permissão do chamado "impulsionamento de conteúdo" (pagar para que as postagens nas redes sociais alcancem um público maior). O telemarketing eleitoral havia sido aprovado no texto-base, mas acabou sendo derrubado na votação das emendas.

As regras para os debates na TV também são alteradas. Hoje as emissoras são obrigadas a convidar candidatos de partidos com mais de nove deputados. Se o projeto entrar em vigor, elas serão obrigadas a chamar candidatos de partidos com mais de cinco deputados.

Se as medidas forem aprovadas pelo Senado, os políticos com multas eleitorais terão um descontão de 90% do valor devido para pagamento à vista.

NOVO FUNDO ELEITORAL (já aprovado por Câmara e Senado, vai à sanção de Michel Temer)

COMO FICARIA: é criado mais um fundo para financiar as campanhas. Ele será dividido da seguinte forma: 2% igualitariamente entre todos os partidos; 35% divididos na proporção do percentual de votos por eles obtidos na última eleição para a Câmara dos Deputados, desde que o partido tenha pelo menos 1 deputado federal; 48% divididos na proporção do número de representantes na Câmara dos Deputados no dia 10 de agosto de 2017; 15% divididos na proporção do número de representantes no Senado no dia 10 de agosto de 2017.
Distribuição aos candidatos: 50% ao candidato a presidente, governador ou senador; 30% aos candidatos a deputado federal; 20% aos candidatos a deputado estadual ou distrital

PROPAGANDA NA INTERNET (precisa ser aprovado pelo Senado)

COMO É HOJE: é proibida a propaganda paga na internet
COMO FICARIA: é permitido o chamado "impulsionamento de conteúdo", que é pagar para que as postagens nas redes sociais alcancem um público maior. Exemplo: que o Facebook mostre a postagem a mais seguidores do que normalmente mostraria.

ARRECADAÇÃO DE DINHEIRO DE CAMPANHA (precisa ser aprovado pelo Senado)
COMO É HOJE: só é permitido no período eleitoral, geralmente a partir do final de agosto
COMO FICARIA: começa em 15 de maio do ano eleitoral, pela internet

DOAÇÕES DE PESSOAS FÍSICAS A CANDIDATOS (precisa ser aprovado pelo Senado)

COMO É HOJE: Não pode ultrapassar 10% da renda do ano anterior
COMO FICARIA: Pessoas físicas poderão doar para cada cargo em disputa até 10% de sua renda do ano anterior, limitada a 10 salários mínimos para cada cargo em disputa. Ou seja, em 2018 uma pessoa poderá, se tiver renda compatível, doar até 50 salários mínimos, já que haverá cinco cargos em disputa

TETO DE GASTOS (precisa ser aprovado pelo Senado)

COMO É HOJE: Em 2014, campanhas definiram seu gastos. A vencedora, Dilma Rousseff, declarou gasto de R$ 384 milhões, em valores atualizados para março de 2017
COMO FICARIA: Teto de R$ 70 milhões para candidato a presidente. Governadores, 21 milhões, a depender do tamanho do Estado. Senadores, R$ 5,6 milhões, a depender do tamanho do Estado. Deputados federais, R$ 2,5 milhões; deputados estaduais, R$ 1 milhão

AUTOFINANCIAMENTO (precisa ser aprovado pelo Senado)

COMO É HOJE: não há limite específico para que o candidato aporte recursos próprios em sua campanha
COMO FICARIA: Até 7% do teto para cada cargo, com limite de R$ 200 mil.

PAGAMENTO E PARCELAMENTO DE MULTAS ELEITORAIS (precisa ser aprovado pelo Senado)
COMO É HOJE: candidatos podem parcelar suas multas em 60 vezes ou mais, caso a parcela exceda 10% de sua renda
COMO FICARIA: o parcelamento pode exceder os 60 meses se a parcela for superior a 5% de sua renda ou 2% do faturamento, em caso de pessoa jurídica. Haverá, ainda, nos 90 dias posteriores à entrada em vigor do projeto, desconto de 90% no valor total, para pagamento à vista.

CANDIDATURAS AVULSAS (precisa ser aprovado pelo Senado)

COMO É HOJE: não são permitidas
COMO FICARIA: há vedação expressa, mesmo que o postulante a candidato tenha filiação partidária

DEBATES ELEITORAIS (precisa ser aprovado pelo Senado)

COMO É HOJE: emissoras são obrigadas a convidar candidatos de partidos com mais de 9 deputados
COMO FICARIA: emissoras são obrigadas a convidar candidatos de partidos com mais de 5 deputados.