terça-feira, 18 de janeiro de 2011

 PENDÊNCIAS

CÂMARA CASSA IVAN PADILHA



Pelo placar de 7x2 os vereadores da Câmara Municipal cassaram o prefeito, Ivan de Souza Padilha (PMDB).
Ainda na decisão, a Câmara cassou os direitos políticos por cinco anos.

O público lotou as dependências da Câmara Municipal para saber o resultado de 89 dias da Comissão Processante, que investigava o prefeito Ivan de Souza Padilha, por diversas irregularidades.

Os vereadores criaram duas Comissões Processantes, onde investigavam o chefe do executivo por diversas irregularidades. Mas, nessas duas comissões, o prefeito levou a melhor, conseguindo na justiça  o arquivamento das comissões processantes (01 e 03).



Só restou a Comissão Processante 010, onde o prazo terminava amanhã. Os crimes que culminaram na cassação de Ivan Padilha são:
Pagamento sem previsão legal para os professores do município e não ter enviado à Casa Legislativa informações solicitadas pelos vereadores.
Nesses dois casos, a votação foi a mesma, 7 a favor da cassação e 2 contra.
Votaram a favor: Dra Tácia Liane, Januncio Freitas, Isac Carlos, Egrinaldo Leonez, Carlos da Fonseca Montenegro, Franklin de Lima Teixeira e João Rodrigues Fernandes. Contra a cassação os vereadores Fernando Antonio e Luiz do Porto.

POSSE

No decreto também ficou determinado que a posse do vice-prefeito, José Mauricio, será às 14h.

CORAGEM

Essa é palavra que pode definir os sete vereadores de partidos diferentes, linhas de oposição diferente e um único objetivo: fiscalizar o uso indevido dos milhões que entraram na cidade de Pendências, desde que o prefeito Ivan de Souza Padilha assumiu o executivo.

A cidade, "flor do vale", se dar ao luxo de receber diariamente R$ 100 mil. Para se ter uma idéia da dimensão, os vereadores cobravam onde e como foram gastos mais de R$ 45 milhões, de janeiro de 2009 a junho de 2010. A partir da união dos vereadores em nome da oposição, o prefeito Ivan Padilha foi obrigado a fazer obras por Pendências, que, de fato, é outra. Mas já entraram nos cofres públicos mais de R$ 60 milhões e os vereadores afirmam que as obras não ultrapassam R$ 10 milhões.

CPI
Mesmo cassado, Ivan Padilha terá que responder a uma CPI, que investiga os desvios de dinheiro em sala de parto, realizado pela irmã e ex-secretária de saúde, Dra Cícera Padilha. A denúncia foi feita pelo enfermeiro Clivanaldo à polícia Federal, depois de ter caído na malha fina da receita federal.



Nenhum comentário: