quinta-feira, 15 de abril de 2021

ESPORTE - Após queda na Libertadores, Renato Gaúcho deixa comando do Grêmio


Depois de quatro anos e sete meses de trabalho, Renato Gaúcho não é mais técnico do Grêmio. Nesta quinta-feira (15), o Tricolor anunciou a saída do ídolo e treinador que mais vezes dirigiu o clube na história (441 jogos, considerando também as duas passagens anteriores, entre 2010 e 2011 e em 2013).

Em nota, o Grêmio informou que o desligamento de Renato se deu “em comum acordo”. A saída ocorre um dia após a eliminação para o Independiente del Valle (Equador) pela terceira fase preliminar da Libertadores. Após quatro anos alcançando pelo menos as quartas de final do principal torneio do continente, com três semifinais seguidas (entre 2017 e 2020) e o título de 2017, o Tricolor ficou fora da fase de grupos, tendo que se contentar com a Copa Sul-Americana.

Infectado pelo novo coronavírus (covid-19), Renato não comandou o Grêmio nas partidas contra o Del Valle, sendo substituído na casamata por Alexandre Mendes, que também deixa o clube, assim como o também auxiliar Victor Hugo Signorelli.

“Cabe uma referência particular e especial ao desempenho do Renato, à forma como se portou, aos títulos obtidos, à lealdade e dedicação com a qual defendeu os interesses dos jogadores, sempre mantendo acesa a chama da vitória. Na vida, chegam momentos em que há a necessidade de tomar caminhos novos. E esses caminhos se dão na perspectiva de desejar ao Renato um grande sucesso, assim como o Grêmio também continuará sua trajetória de vitórias, em um projeto que começa esse ano a ser mais uma vez reciclado, redimensionado”, afirmou o presidente Romildo Bolzan, em depoimento divulgado pela Grêmio TV.

Nenhum comentário: